RN é o segundo estado do país com maior redução de homicídios entre 2017 e 2022

Compartilhe

Foto: Sandro Menezes

Para onde se olhe, a segurança pública é o tema que mais desafia gestores e especialistas no Brasil, especialmente pelo avanço generalizado do crime organizado. Mas a implantação de uma nova filosofia
de gestão e investimentos nessa área tão delicada são apontados como fatores decisivos para o sucesso do Rio Grande do Norte na redução da taxa de homicídios, como reconhece o recém divulgado Atlas da Violência 2024, coordenado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Nele, o RN aparece como o segundo estado com a maior redução da taxa de homicídios no Brasil, entre 2017 e 2022, período em que apresentou uma impressionante queda de 49,1% na taxa por 100 mil habitantes, ficando atrás apenas do Acre (-57%) e superando o Ceará (-45,9%). Aqui, a implantação de nova filosofia de gestão e investimento em segurança pública são apontados como fatores decisivos para o sucesso potiguar pela publicação, considerada um termômetro da eficiência da política de segurança pública no País.

Segundo o Ipea, no caso do RN, a redução nos índices de violência é resultado da implantação bem sucedida de uma filosofia de gestão orientada por resultado para a diminuição de crimes violentos,
a partir da união do trabalho de inteligência e análise criminal. E, é claro, somado a um substancial investimento em segurança pública realizado pelo Governo do Estado, como a contratação de mais de 3 mil novos agentes de segurança, valorização das carreiras e aquisição de mais de 600 viaturas e equipamentos.

Os resultados práticos desse esforço revelam que no quinquênio 2017/22 essa política abraçada no RN salvou mais de mil vidas, além de propiciar uma queda expressiva em outros indicadores. Em 2017, por exemplo, o Rio Grande do Norte registrava 63,8 homicídios por 100 mil habitantes. Em 2022, este número desabou para 32,5 casos/100 mil habitantes, representando o salvamento de 1.036 vidas.

No rastro dessa redução nos homicídios, o estado também apresentou queda em outros indicadores de criminalidade, como latrocínios (-47,9%), estupros (-25,5%) e tentativas de homicídios (-42,9%). Esta semana, a governadora Fátima Bezerra comemorou os resultados positivos, manteve o alerta para o avanço deletério das organizações criminosas e reforçou o compromisso do governo com a
segurança pública.

“É essencial que esse trabalho para levar mais segurança à sociedade e, consequentemente, a redução dos indicadores de violência passe exatamente por investimentos e prioridade no trabalho dos setores de inteligência das nossas polícias”, afirma a governadora.

Para ela, cada vez mais, o Estado precisa investir nesses setores porque segurança pública não passa somente por investimentos em equipamentos. “Claro, isso também é essencial, tanto que investimos na renovação da nossa frota e temos já mais de 600 novas viaturas nas ruas”, acrescenta Fátima Bezerra, governadora do Rio Grande do Norte.

Entre os dados do Atlas da Violência que reforçam o acerto da atual política de segurança no RN estão o segundo lugar atingido pelo estado entre as unidades da federação com maior redução no número de homicídios entre jovens de 15 a 29 anos (-56,8%).

O RN divide com o Distrito Federal a terceira maior redução na taxa de homicídios por 100 mil habitantes entre jovens de 15 e 19 anos (-53,8%). Mais, o estado apresentou a maior redução na taxa de assassinatos de adolescentes entre 15 e 19 anos no país (-70,5%), além de se destacar como o segundo com maior redução na taxa (54,1%) e no número (-52%) de homicídios contra mulheres.

Isso, em última análise, é fruto de ações e investimentos para combater a violência contra a mulher, como lembra o secretário de Segurança Pública, Coronel Francisco Canindé de Araújo Silva. “Desde 2019, o Governo do Rio Grande do Norte vem investindo na proteção e acolhimento de mulheres vítimas da violência com a ampliação no número de delegacias especializadas em atendimento à mulher (DEAM) que mais do que dobraram de cinco para 12”, frisa o secretário.

As ações que ajudaram a melhorar a segurança pública no RN
Realização de concursos públicos para novos policiais e bombeiros
Nomeação e formação de aproximadamente 4.600 agentes de segurança pública
Contratação de quase 800 novos agentes, escrivães e delegados de polícia civil
Investimento em recursos humanos, infraestrutura e equipamentos para as forças de segurança
Redução significativa do número de mortes violentas no estado
Aumento de efetivos das polícias, e quase 15 mil promoções de patente e carreira
Renovação da frota de viaturas, com mais de 600 novos veículos adquiridos
Aquisição de uma nova aeronave, o Potiguar 02, através de convênio com o Governo Federal.

 

* Todos os comentários são de responsabilidade dos seus autores.